Quais os brinquedos indicados para cada idade?

Brincar é umas das melhores formas de estimular o desenvolvimento e o potencial de uma criança. Conheça alguns brinquedos educativos indicados para cada faixa etária, que auxiliam no desenvolvimento da criança.

0 a 5 mesesChocalhos, brinquedos musicais, mordedores, brinquedos de berço, móbiles, livrinhos de pano ou plástico, bolas com texturas diferentes para serem agarradas com as duas mãos.

6 meses a 1 ano: Brinquedos flutuantes (patinhos de borracha que bóiam na água), cubos que tenham guizos embutidos ou ilustrações, caixas ou brinquedos que se encaixam uns dentro dos outros, argolas empilháveis, brinquedos para martelar, empilhar e desmontar, brinquedos eletrónicos de aprendizagem, mesa pequena com cadeirinhas na altura em que a criança possa alcançar os pés corretamente no chão, telefone de brinquedo, espelhos, brinquedos que emitem sons por meio de botões de apertar, girar ou empurrar.

1 a 2 anos: Brinquedos de variadas texturas (estimulam os sentidos da visão, da audição e do tato), bonecas de tecido e bichos de peluche feitos de materiais  não tóxicos, livros e álbuns de fotografia com ilustrações dos familiares e objetos conhecidos, brinquedos de empurrar ou puxar, brinquedos de montar e desmontar. Os brinquedos devem ter cores vivas e não podem ser tóxicos.

2 a 3 anos: Bolas, muitos blocos de brinquedos para empilhá-los e colocá-los dentro de caixas, brinquedos de encaixar e desmontar, brinquedos musicais, carrinhos, bonecas, cavalinho de balanço, brinquedos para praia ou piscina, brinquedos de equilibrar um em cima do outro. Nesta idade deve-se ensinar a criança a organizar e recolher os brinquedos.

3 a 4 anos: Triciclo, carrinho grande de puxar, aviões, comboiozinhos, brinquedos infláveis, bolhas de sabão, caixas de areia com pás e cubos, cabaninhas, casas de bonecas, ferramentas de brinquedos, massinha de modelar, objetos domésticos, fantasias, máscaras, fantoches, instrumentos musicais de brinquedo como pandeiros, pianinhos, trombetas e tambores, brinquedos de montar e desmontar mais complicados, blocos de formas e tamanhos variados, jogos e quebra-cabeças simples, lápis de cor e papel para desenhar (círculos, bonecos, enumerar os elementos de uma ilustração,colorir), livros com diferentes ilustrações e histórias alegres.

4 a 6 anos: Esta é a fase do mundo imaginário, a sua criatividade está a desenvolver-se. Os brinquedo nesta fase devem auxiliar a criança a entrar no mundo da fantasia, por exemplo: dinheirinho de brinquedo, caixa registradora, casas de boneca com móveis, telefone, cidadezinhas, circos, fazendas com animais, materiais de papelaria, postos de gasolina, meios de transporte (camões, automóveis e pistas, motos, aviões, comboios elétricos, barcos e tratores), instrumentos musicais e eletrónicos, jogos. Nesta idade, a criança começa a sentir o que chamamos de medos infantis, como o medo do escuro, as bruxas, o bicho papão e outras coisas feias que impedem que durma, desta forma recomendamos uma boneca ou um ursinho de peluche, que tem a função de ajudar as crianças a superarem esta fase.

Fonte: Estimulando

  

Brinquedo, qual a sua história?

A história do brinquedo é uma história que acompanha o homem. O brinquedo é mais do que apenas um objeto para a criança se distrair e se divertir. É uma forma de conhecer o mundo que tem ao seu redor, de dar asas à sua imaginação. Como tal, os brinquedos sempre estiveram presentes na sociedade. Claro que havia a limitação em termos de materiais utilizados, mas a imaginação humana permitiu ultrapassar este ponto.

Os primeiros brinquedos datam de 6500 anos atrás no Japão. Aqui eram feitas bolas de fibra de bambu. Para além disso, a bola era um brinquedo utilizado noutras civilizações como os romanos e os gregos.

Há cerca de 3000 anos foram inventados os piões na Babilónia, feitos de argila e decorados.

Os famosos soldadinhos de chumbo surgiram no século XIII, mas apenas como forma de simular situações de batalha. Mais tarde foram popularizados, mas mesmo assim apenas eram acessíveis a famílias nobres. As primeiras caixas de música só surgem no século XVIII, criadas por relojoeiros suíços, que utilizaram um mecanismo semelhante ao dos relógios para criar um mecanismo que fazia com que um pente de metal produzisse som ao passar por um cilindro rotativo.

As bonecas eram relativamente comuns no século passado, no entanto eram feitas de pano. As bonecas de porcelana eram artigos reservados a famílias ricas.

Este século veio trazer muitas mudanças à sociedade, incluindo no que se refere aos brinquedos. A produção em série acabou por ser utilizada na manufatura dos brinquedos, fazendo por isso com que a produção de brinquedos aumentasse significativamente e tornando possível a quase qualquer pessoa possuir um brinquedo. Com a descoberta de um novo material, o plástico, tornou-se possível criar uma grande quantidade de brinquedos, incluindo bonecas, carros, casas e outros.

Assim a criança tem disponível hoje em dia uma grande quantidade de brinquedos.

No entanto, ainda existe a nostalgia pelos brinquedos tradicionais. Não esquecer que a maioria das famílias não tinha possibilidades financeiras para comprar brinquedos às suas crianças. As crianças utilizavam os materiais existentes, como madeira, peças de metal para as suas brincadeiras. O cavalo de pau, o arco, uma bola feita de meias velhas, a imaginação fazia surgir vários brinquedos. As bonecas eram feitas a partir de restos de tecidos utilizados para o vestuário. Com o surgimento do plástico as coisas mudaram e agora as crianças têm acesso aos mais variados brinquedos, desde bonecos de todo o tamanho e feitio, peças para montagem, jogos, até aos jogos de vídeo, tão conhecidos e apreciados e que são relativamente recentes. Há quem defenda que estes brinquedos é que permitiam que a criança desenvolvesse a sua capacidade criativa. No entanto, quem se senta ao lado de uma criança a brincar aprende uma coisa. Seja qual for o brinquedo que ela tem nas mãos, é quase impossível não entrar no mundo fantástico e belo que ela nos entrega.

Fonte: Avidamovel

  

Brincadeira de colaboração

Os pré-escolares passam da brincadeira solitária e em paralelo para a brincadeira de colaboração. É neste momento que a criança aprende a dominar importantes aptidões sociais, como a linguagem falada, a partilhar, a respeitar a sua vez, a obedecer a normas e a negociar.Todas estas condutas são muito difíceis para uma criança aprender. Ao fim e ao cabo, nesta idade a criança acredita que é o centro do universo.

Partilhar

Quando um pré-escolar quer alguma coisa, a ideia de deixar que outra pessoa a tenha é quase insuportável. Aprender a partilhar é todavia mais complexo devido ao fato desta palavra se utilizar de forma confusa(Se pedirmos a uma criança que partilhe os seus brinquedos, em breve ser-lhe-ão devolvidos, mas se lhe pedirmos que partilhe as bolachas,nunca as voltará a ver). É mais fácil para os pré-escolares partilharem se estiverem acostumados a brincar com os pais a dar-lhes coisas que lhe são devolvidas depois.

Respeitar a sua vez

Os desejos de um pré-escolar são urgentes e imediatos. Quando quer alguma coisa, quere-a AGORA! A vez obriga-o a exercitar a paciência ao atrasar a gratificação ao ser obrigado a imaginar como estarão a passar as crianças que estão a brincar. Por isso ser-lhe-á muito útil a capacidade de empatia que tenha adquirido em casa e durante a brincadeira paralela.

Cumprir as regras

Todas as crianças querem ganhar. A maior parte delas fará tudo o quepuder para o conseguir, mesmo que tenha que fazer algumas batota. Embora os adultos o possam permitir, os companheiros delas, especialmente na escola ou no infantário, não o farão, o que os obrigará a aprender uma boa (e dura) lição sobre a importância de cumprir as regras.

Negociar

Quem é o primeiro? Como se decide ao que se brinca? Quem é o polícia e quem é o ladrão? A brincadeira em colaboração obriga a criança a dar além de receber, a arranjar um compromisso sobre o que quer: algo difícil de aceitar quando se é o centro do universo. Mas quando a criança souber negociar, partilhar, brincar por turnos e cumprir regras, terá percorrido uma boa parte do caminho para se saber desenvencilhar no pátio do colégio, no alojamento da faculdade e na sala de reuniões da empresa.

Portanto observe e acompanhe todos os dias o seu filho enquanto brinca. Deste modo, poderá conhecer em profundidade o seu desenvolvimento social e a sua capacidade intelectual. Além disso, é muito divertido.

*Artigo realizado por Lawrence Kutner, Prof. Dr., com o Prof. DieterWolk

  

Brincadeira simbólica

Para um bebé ou uma criança pequena, um lego é um lego. Se lhe derem mais do que um, pode acontecer que faça uma coluna ou que puxe um de cada lado. Mas quando estiver perto de fazer dois anos, começará a azer muitas mais coisas com os legos: uma casa, um carro ou qualquer outra coisa.

Os brinquedos convertem-se em símbolos de outros objecos. Uma menina pode tentar alimentar a sua boneca como se fosse outro bebé. Se a observar atentamente, pode acontecer que a veja a pegar na boneca ou no ursinho de peluche do mesmo modo que você pega nela.

Este tipo de representação simbólica demonstra o complexo que começa a ser o seu cérebro. Também lhe permite preparar-se para enfrentar os acontecimentos que a rodeiam e que por vezes a assustam. Por exemplo, se o pediatra tiver que examinar os ouvidos da menina para ver se existe uma infecão, e a menina for sensível ao choro, pode começar por olhar para os ouvidos da boneca que ela tiver trazido. Deste modo, a pequena sabe de antemão o que lhe vão fazer, o que contribui para eliminar a sua ansiedade.

  

Brincadeira paralela

As crianças pequenas necessitam de companheiros de brincadeiras, embora brinquem com eles de forma bastante diferente do que o fazem as crianças mais velhas. Deixe dois bebés de 18 meses com brinquedos parecidos no mesmo quarto e verá que não parecem prestar muita atenção um ao outro.

Mas se os observar atentamente, em breve notará que se um pega num camião, o outro faz o mesmo. Se o primeiro bebé olhar para esse camião e disser 'não' (uma das palavras preferidas de uma criança desta idade), é provável que o segundo o imite e grite igualmente'não!'. Se os bebés já forem suficientemente grandes para emitir palavras, talvez os ouça a manter o que parece ser uma conversa sem sentido. 'Cãozinho vai carro'. 'Esse camião grande!' 'Tem fome cãozinho?' 'Camião meu. ¡Brum, brummmm!'

Este é um exemplo de brincadeira paralela. De forma diferente à que acontece com as crianças mais velhas, que se relacionam e comunicam diretamente, as crianças pequenas brincam em paralelo. Embora possa parecer que brincam de forma independente, as crianças desta idade não deixam de observar a conduta do outro. A brincadeira paralela costuma ser o primeiro passo para estabelecer vínculos sociais fortes dentro e fora da família. Os companheiros de brincadeiras paralelas são os primeiros amigos da criança.

  

Brincadeira de imaginação

Entre as crianças pequenas, a linha entre a fantasia e a realidade é maravilhosamente difusa. As crianças em idade pré-escolar ou um pouco mais pequenas podem lutar com dragões ou voar até à lua, tudo isto sem sair do quarto. Se quiser construir um forte para uma criança desta idade, não necessita de mais do que duas cadeiras e uma manta para as cobrir. As brincadeiras de simulação são muito recomendáveis uma vez que superam os limites dos acontecimentos da vida real e permitem à criança explorar novas ideias e experimentar a vida a partir de uma perspetiva diferente.

A partir dos três anos de idade, as brincadeiras de simulação costumam incluir amigos imaginários. Estes amigos simulados costumam fazer coisas que a criança não pode ou que não se atreve a fazer. Um amigo imaginário pode ser muito exigente ou grosseiro com os adultos e com as crianças mais velhas. Pode ter poderes mágicos ou uma imensa força ou sabedoria. Desta maneira, a criança experimenta a vida de uma perspetiva diferente e brinca com a noção do poder. Também é uma forma de culpar outro quando a criança entorna sumo no tapete.

Embora o aparecimento de um companheiro imaginário preocupe por vezes os pais, não há motivo para isso. De facto, deveria ser motivo de alegria. Os estudos realizados pelo Dr. Jerome Singer na Universidade de Yale demonstram que os pré-escolares que tiveram amigos imaginários tendem a mostrar maior imaginação e um vocabulário mais rico do que o resto dos seus companheiros. Além disso, costumam ser mais felizes e dar-se melhor com os seus companheiros. É interessante observar que algumas destas crianças nunca revelaram aos pais a existência do amigo imaginário.

  

10 Mandamentos para a criança na Internet

Navegar na Internet é bom, mas cuidado com os perigos!!!

Os papel dos pais no acompanhamento da criança na internet é fundamental, assim sugerimos os seguintes passos:

• Converse com o seu filho sobre a Internet, procurando perceber de que forma ele a utiliza;
• Tente sensibilizá-lo para os perigos existentes na Internet;
• Passe algum tempo com ele na Internet;
• Se possível, coloque o computador numa área comum da casa, a fim de melhor se poder aperceber do que vai acontecendo;
• Esteja atento ao comportamento do seu filho, procurando sinais de eventuais perturbações.

 

Recomendações a fazer à criança:

1. Sê prudente, não sabes o que está por trás do écran do computador;
2. Não digas o teu nome, nem a tua idade;
3. Nunca divulgues a tua password;
4. Quando estiveres no chat, desconfia sempre de quem está do outro lado;
5. Não dês o teu endereço, número de telefone, ou outro tipo de dados pessoais;
6. Nunca envies qualquer foto tua;
7. Nunca aceites propostas de encontro sem informar os teus pais;
8. Não acredites em todas as informações que recebes;
9. Não respondas a e-mails que te ofendam;
10.Se alguma foto te perturba, sai do site e avisa os teus pais.



Segurança na utilização do brinquedo

Dicas de segurança na utilização do brinquedo

1- Certifique-se de que segue as recomendações de idade. Escolha brinquedos adequados à idade, à capacidade e ao nível de destreza da criança. Os brinquedos que não são adequados à faixa etária específica de uma criança podem magoar a criança.

2- Não aquira brinquedos com peças pequenas e facilmente destacáveis para crianças com menos de três anos de idade, já que estas crianças tendem a colocar os brinquedos na boca e podem asfixiar com peças pequenas

3- Esteja atento às crianças enquanto brincam – certifique-se de que todos os brinquedos são utilizados adequadamente.

4- Com certos brinquedos – como trotinetas, patins e bicicletas – as crianças devem utilizar sempre capacete e outros equipamentos de segurança.

5- Ensine os seus filhos a guardar os seus brinquedos para evitar acidentes. Não deixe os brinquedos nas escadas ou no chão em zonas de circulação da casa.


Club de Pais


Esta secção foi criada para pais e educadores partilharem experiências, pequenas dicas, preocupações, conselhos ... sempre com base nas crianças e actividades em família.

Inscrevam-se na Newsletter para receber informações das nossas iniciativas e informações sobre temas de interesse para que tem e se relaciona com crianças.

Entre todos, é bem mais fácil!

  
Home   •   Como funciona   •   Alugar Brinquedos   •   Festas de Aniversário   •   Serviços Club   •   Contactos   
© 2017 by Club do Brinquedo  •  Webdesign by Powered by PWM - Power Web Marketing